19 de mar de 2008

15 de mar de 2008

10 de mar de 2008

Perto

Num quadrado, apenas posso escrever sobre arestas e linhas.

Teceria um relato quotidiano sobre as coisas. Se as tivesse. Ou as que oculto de mim.

Penso. Enlaces e desenlaces gregos. E tu entras, repentinamente. Deixo-me ficar. Parece-me que tu também.


Tristeza, vazio e cansaço.


“- E tu, porque estás assim?

- Por tudo um pouco. Mas sempre foi assim. Quando não o é, é porque me iludo.”

9 de mar de 2008

Lasciami fare
come se non fosse amore
ma per errore
chiudi gli occhi e pensa a me.
Che importa se
per innamorarsi basta un'ora
che fretta c'era
maledetta primavera
che fretta c'era
lo sappiamo io e te
E a chuva lava o que já passou.

5 de mar de 2008