11 de jan de 2008

Eu limito o meu pensamento em ti, em mim,
No «nós» que outrora fomos
E no que agora somos...
E dou por mim esquecendo o suposto fim
E revivendo o meio que geramos...
E penso e repenso nas palavras que dissemos,
No perto que estivemos
E no longe em que estamos...

10 de jan de 2008

É o vento que sopra forte como um gigante:
rígido , austero e intolerante,
Confiante que tudo e todos devasta
Com um gesto, uma lágrima ou uma palavra nefasta...

É o vento sedutor que me enlouquece;
Leva-me ao derílio e depois desaparece!...
Deixando no corpo sua essência de quimera,
Estonteante como o sol de Primavera!