17 de mai de 2009

- Qual é a cor do céu?
- Não sei. Apenas posso adivinhá-la fria como a noite e quente num dia de verão.
Além do mais, é inútil rotular as coisas com cores. Se o fizermos, veremos que as cores mudam, bem como as impressões que temos.
- Sendo assim, só as coisas são o que são. O amor, se é uma impressão, muda; se é o de uma vida, não.
- As cores não importam realmente, senão para os pintores.
- Isso custa, não custa?
- Já custou. Agora não tanto. Na verdade só deixamos de ver as cores quando já não somos mais crianças.
- Quando deixamos de ser?
- Deixamos de sê-lo quando deixamos desfalecer a ilusão de sermos felizes.

Nenhum comentário: