4 de jun de 2009

"As coisas que vemos não são, em si mesmas, aquilo que vemos... de tal modo que, se renunciássemos ao sujeito e à forma subjectiva dos nossos sentidos, todas as qualidades, todas as relações dos objectos no espaço e no tempo e mesmo o próprio espaço e o próprio tempo, desapareceriam."

Nenhum comentário: