20 de mai de 2008

Ela sente. Ela o sente mesmo nos sonhos que tudo vê sem compreender. Vê as feições. Trocam palavras e beijos por entre abraços constantes e, toca-o novamente perdida na imaginação e nas maravilhas que o sono proporciona. E sorri porque sabe e reconhece o que sente.























Ela acorda e sente-se confusa.

Nenhum comentário: