4 de mai de 2008

O presente não me satisfaz, não me cativa. Sei, claramente, o que me espera através dele - um passado. Não me ofereçam mais presentes para depois ficar presa ao passado. Não quero um dia que acabe numa noite. Quero a continuidade dos dias; um acréscimo de vento para que arraste as folhas que nascem com a Primavera pelo calado Outono e o carrancudo Inverno. Quero acompanhá-las pelo tempo, sem pressa, parando os ponteiros para pensar e sentir.

Nenhum comentário: