1 de mai de 2008

P'ra cá onde dorme o sol
Eu fico todas as tardes
A ver se ele se vai embora
E me deixa
Confiado
Às memórias de um outrora

Em que levantamos tendas
Sopramos canções de guerras
Semeamos nesta terra
Novos sonhos
Que ainda agora
Parecem sonhar de novo

Sagres tu sabes
Como se arma um coração
Agarramos uma vida
Desatamos a paixão
Sagres tu sabes
Na ponta da solidão

No palco de uma fogueira
Entre risos e medronhos
Fomos as noites dos loucos
Escondidos nas piteiras
E os beijos não foram poucos

A noite não tinha céu
O dia não tinha chão
O tempo nao tinha cara
E o mar tomava-nos conta
Dos cinco dedos da mão

Luís Represas- Sagres

Nenhum comentário: